Ir para o conteúdo principal
Notícias

Live da Uniodonto Federação Paraná foi verdadeira aula sobre cooperativismo

Por 5 de novembro de 2021Sem comentários

 

Reunindo diretores da Uniodonto do Brasil,  live tocou em aspectos sensíveis e importantes que diferenciam o Sistema Nacional de Cooperativas Odontológicas das operadoras de grupo, mercado, relações com a comunidade e sobre a importância do cooperativismo  para alavancar a vida profissional dos cirurgiões

Foi uma verdadeira aula sobre cooperativismo o bate-papo com três diretores da Uniodonto do Brasil, que são lideranças que acumulam anos de experiência em suas cooperativas. Assim pode ser definida a live que a Uniodonto Federação Paraná realizou na última quarta-feira, dia 27 de outubro, acompanhada por dirigentes e colaboradores de cooperativas do Sistema Uniodonto de todo o país.

A live reuniu o Diretor Presidente da Uniodonto do Brasil, Dr. José Alves de Souza Neto e o Diretor Vice-Presidente Político Institucional, Dr. Pedro Teixeira Júnior para falar sobre o Cooperativismo como Modelo de Negócio para a Odontologia. A mediação ficou a cargo do Presidente da Federação Paraná da Uniodonto, Dr. Adalberto Baccarin, também Diretor Vice-Presidente Administrativo Financeiro da Uniodonto do Brasil.

De maneira simples, clara e objetiva, própria de quem vive no dia a dia a realidade de suas singulares, os dirigentes trouxeram tópicos fundamentais para o entendimento do cooperativismo. Dr. José Alves contextualizou a linha do tempo desde a regulamentação da saúde odontológica suplementar, com a criação da ANS até a atualidade. Ele trouxe números que expressam de forma incontestável a validade do modelo cooperativista como gerador de riqueza para a sociedade, de oportunidade de trabalho para o cirurgião-dentista e de valor para o beneficiário. “Por meio do trabalho a Uniodonto gera uma receita anual em torno de R$1 bi. Desse total, cerca de 65% são revertidas para remuneração do cirurgião-dentista. Já de acordo com a ANS, dos R$2, 8 bi de receita da odontologia de grupo, algo em torno de R$1 bi é revertido para o cirurgião-dentista credenciado, o que significa cerca de 35% da receita.”, afirmou.

Evocando o sétimo princípio do Cooperativismo, o interesse pela comunidade, Dr. Baccarin reforçou que as cooperativas geram riqueza que é compartilhada nas comunidades em que estão inseridas: “A riqueza gerada pelo trabalho das cooperativas permanece no espaço em que ele foi gerado.”, destacou citando o resultado de com pesquisa realizada pela FEA-USP de Ribeirão Preto na primeira década dos anos 2000, municípios que têm cooperativas apresentam um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) superior aos demais, o que pode ser explicado porque os resultados gerados pelos empreendimentos cooperativos ficam na região de origem, o que faz girar a economia local e traz mais renda e qualidade de vida para as pessoas.

Para Dr. José Alves, o desafio da Uniodonto é ampliar a participação da Uniodonto no mercado da odontologia suplementar: “já detivemos 30% desse mercado e hoje representamos 12%. A concorrência é exercida por planos comercializados por até R $8,00,  valor que coloca em risco a qualidade do serviço oferecido ao paciente e que avilta o trabalho do cirurgião-dentista. É indispensável aumentarmos nossa inserção no mercado para podermos assegurar espaço para nosso cooperado e segurança para o cliente.”, salientou.

Dr. Pedro Júnior salientou que o diferencial da Uniodonto em relação aos planos odontológicos de grupo é a ampla rede de cirurgiões-dentistas e a garantia de atendimento nacional, que são fatores a serem lembrados como argumento para vendas.

A humanização o atendimento e a proximidade da gestão da cooperativa odontológica com  beneficiários e cooperados foram outros aspectos também levantados como diferenciais da Uniodonto durante a live, ao contrário das grandes corporações que são operadoras de planos odontológicos e cujas estruturas de gestão são bastante distanciada dos usuários e dentistas credenciados.

Participando do negócio

Os diretores foram unânimes em lembrar que os cirurgiões-dentistas são os donos das cooperativas do Sistema Uniodonto, mas que por várias razões, como tempo, por exemplo, muitas vezes se afastam das tomadas de decisões das cooperativas aos quais pertencem, ou seja, do negócio que é do próprio cirurgião-dentista.

“Acredito que a própria formação do cirurgião-dentista promove a ideia de um trabalho voltado ao consultório, exercido de forma individual. Ao contrário, por exemplo, do profissional de medicina que tem a visão de trabalho de equipe, integrado com outras especialidades.”, avaliou Dr. Baccarin.

Dr. José Alves ressaltou o respeito da Uniodonto a todas as dimensões do trabalho do cirurgião-dentista: “Não invadimos seu consultório, respeitamos suas autorizações, sem glosas”.

A troca de experiências entre cooperativas e o aprendizado mútuo também foram aspectos levantados como ponto alto do Sistema Uniodonto. Cooperativas contam com o site de Boas Práticas para compartilhamento de experiências e êxito e também daquelas que podem e devem ser evitadas pelo resultado que ocasionaram às singulares. O Diretor Presidente da Uniodonto do Brasil também convidou os participantes a visitarem e participarem dos cursos online gratuitos oferecidos pela plataforma exclusiva Capacita Uniodonto.

A Uniodonto Federação Paraná iniciou no dia 29 de setembro o ciclo de lives  sobre temas relacionados ao cooperativismo no Brasil e no mundo que vai até  10 de novembro. “Nosso objetivo é apresentar à classe odontológica os princípios e valores do cooperativismo. O ciclo de lives faz parte de um trabalho que desenvolvemos para o mês do dentista. Nosso propósito é levar ao conhecimento de profissionais cooperados, não cooperados e estudantes de odontologia um pouco sobre o cooperativismo.”, destaca Dr. Adalberto Baccarin.  O ciclo de lives conta com o apoio do Sistema Ocepar e Sescoop PR.

Deixe uma resposta